O QUE É TERAPIA COGNITIVO COMPORTAMENTAL?

Esta abordagem psicológica está envolta a um conjunto de técnicas e estratégias terapêuticas que tem por finalidade mudanças de padrões de pensamentos, consequentemente alterando o padrão cognitivo. Modifica-se o sentimento e o comportamento do indivíduo, fazendo com que o mesmo responda de forma diferente as mais variadas situações de sua vida onde era comum um reação desproporcional ao evento.
Seu modelo cientificamente fundamentado apresenta eficácia comprovada por meio de estudos empíricos. O tempo curto e limitado lhe confere a posição de abordagem de escolha em vários países. Uma das primeiras coisas que o terapeuta tccista faz é encorajar seus pacientes a entenderem seus problemas para em seguida identificar novas formas de enfrentá-los.
A Terapia Cognitivo-Comportamental reinterpreta os elementos que geram emoções negativas e tem como princípio básico a proposição de que não é uma situação que determina as emoções e comportamentos de um indivíduo, mas sim suas cognições ou interpretações a respeito dessa situação, as quais refletem formas idiossincráticas de processar informação.

terapia-cognitiva

Porque utilizar a Terapia Cognitiva Comportamental nos Transtornos de Ansiedade?
De acordo com Oliveira(2011) os pacientes com Transtorno de Ansiedade Generalizada normalmente preocupam-se desproporcionalmente com o futuro e cometem vários erros do pensamento, como a catastrofização, por exemplo, por ter dificuldade de raciocinar com base na realidade. Suas interpretações dos eventos tomam grandes proporções, exagerando os efeitos, enfatizando os aspectos negativos e ignorando os positivos.

As intervenções cognitivo-comportamentais mais empregadas no quadro ora descrito são: a psicoeducação, a identificação dos pensamentos automáticos e das emoções, a identificação das crenças centrais e intermediárias, a reestruturação cognitiva, a resolução de problemas e a avaliação do processo.

O fato da TCC trabalhar com essas estratégias dentre tantas outras, empregadas nos encontros (sessões) de orientação psicológicas e utilizadas também em tarefas de casa, acordadas entre terapeuta e paciente, fará com que o mesmo se familiarize com as distorções cognitivas mais cometidas e encontre respostas adaptativas e, consequentemente, uma evolução do quadro apresentando no momento da consulta.

 

Referências:

OLIVEIRA, S. M. Inês. Intervenção cognitivo-comportamental em transtorno de ansiedade: relato de caso. Rev. bras.ter. cogn. vol.7 no.1 Rio de Janeiro jun. 2011